O Relatório AMPHOS 2015, da Abbvie e Antares Consulting, orienta a implementação de alianças estratégicas no ambiente hospitalar


17/03/2016

 

Com o objetivo de garantir a viabilidade do Sistema Nacional de Saúde, orientando as estruturas e o setor da saúde para a eficiência, o novo Relatório AMPHOS orienta a implementação de alianças estratégicas no ambiente hospitalar. Concretamente, o estudo impulsionado pela empresa biofarmacêutica AbbVie e pela Antares Consulting, estabelece um guia prático para a implementação dessas alianças de forma a maximizar o seu alcance e as oportunidades que representam. 

 

O Relatório AMPHOS 2015 pretende gerar conhecimento sobre as alianças estratégicas e a sua utilidade para transformar o sistema de saúde, sensibilizando os principais agentes do setor para a necessidade de explorar e implementar estas alianças com um enfoque de eficiência nos processos assistenciais do paciente, contribuindo para a sustentabilidade do sistema de saúde de uma forma eficiente e eficaz.

 

Neste sentido, a cultura organizativa desempenha um papel chave para que os processos de transformação das organizações sejam bem-sucedidos. A procura de soluções para superar os desafios do sistema de saúde, no que se refere ao modelo assistencial e sua sustentabilidade, levou à necessidade de desenvolver novas fórmulas de gestão em que a colaboração entre atores envolvidos se converte no eixo central.

 

Por esta razão, a preparação do Relatório AMPHOS 2015 envolveu a participação de uma Comissão Assessora com 13 gestores do setor da saúde, assim como uma sessão de trabalho com mais de 50 gestores hospitalares, que analisaram as experiências nacionais e internacionais de gestão hospitalar.

 

O Relatório AMPHOS 2015 pretende aportar também uma metodologia para implementar alianças estratégicas, mediante um guia que proporcione pautas claras sobre a orientação aos resultados, a inovação, e a orientação ao paciente, convertendo estes elementos em eixos centrais das organizações de saúde. Assim, o relatório estabelece quatro fases para a formação de Alianças Estratégicas: a “Identificação de Oportunidades”, o “Desenho da Aliança”, a “Implementação da Aliança”, e o “Seguimento” que retroalimente o processo para estabelecer melhorias.

 

O desenvolvimento de Alianças Estratégicas entre serviços assistenciais ou inclusive entre organizações de saúde permite melhorar a qualidade assistencial, obter economias de escala no sistema de saúde e melhorar a capacidade de investigação, docência e desenvolvimento dos profissionais.

 

Continuar a ler...


Fonte: IM Médico Hospitalario
Aceder à notícia original

Copyright © 2019 Antares Consulting S.L. Todos os direitos reservados   |   Informações legais e Política de privacidade