O desafio do acesso à inovação: Implementar processos disruptivos em estruturas organizativas rígidas



Descrição


O setor da saúde é um dos setores de atividade mais inovadores e, no entanto, o acesso à inovação, e o seu financiamento em particular, é um dos principais desafios dos sistemas de saúde na atualidade.

 

Se consideramos o investimento em I+D+i sobre as vendas do setor, a indústria farmacêutica e biotecnológica e a indústria de equipamento de saúde situam-se entre os setores que mais investem em inovação.

 

Em 2015, a indústria farmacêutica investiu 900 milhões de €, que representam 20% do total de investimento industrial em Espanha. A faturação do setor farmacêutico representa 2,4% do total industrial, pelo que de longe é a indústria que mais investe em I+D.

 

Em sentido amplo, tecnologia de saúde é: “a aplicação de conhecimento e habilidades organizadas sob a forma de dispositivos, medicamentos, vacinas, procedimentos e sistemas desenvolvidos para resolver um problema de saúde e melhorar a qualidade de vida” (OMS).

 

A inovação em tecnologias de saúde, tal como entendida na definição anterior, contribuiu decisivamente para a melhoria do estado de saúde da população. Alguns estudos estimam que cerca de 40% da melhoria em saúde se explicam pela inovação em medicamentos. Mas o papel das tecnologias de saúde está tradicionalmente no centro do debate sobre a sustentabilidade dos sistemas de saúde, principalmente pelo seu elevado custo (geralmente superior à tecnologia que substitui) e por ser a principal causa de crescimento da despesa, de acordo com vários estudos. 

 

Neste documento (em espanhol) vamo-nos centrar em abordar o primeiro aspeto: o financiamento da inovação em tecnologias da saúde.



Autores


Joan Barrubés, Ladislao Honrubia, Oscar Día, Marta de Vicente, Antares Consulting



Copyright © 2019 Antares Consulting S.L. Todos os direitos reservados   |   Informações legais e Política de privacidade